Xbox 360 terá mapa exclusivo de jogo de guerra Homefront

A publicadora de jogos eletrônicos THQ informou que a plataforma Xbox 360 (X360), da Microsoft, vai receber anteriormente o primeiro “conteúdo extra” (“download content” ou DLC, em inglês) de Homefront e que a edição para X360 vai disponibilizar um exclusivo cenário de nome Suburbs.

Homefront é um jogo de guerra passado no ano de 2027, em que se tem início um embate entre os Estados Unidos e a Grande República da Coreia (unificação das Coreias do Norte e do Sul, do Japão e de diversos outros países asiáticos que beiram a Oceania).

Estreia: 8 de março de 2011.

Plataforma(s): PC, Playstation 3 (PS3) e Xbox 360 (X360).

Produção: Kaos Studios, da cidade de Nova York, Estados Unidos — em colaboração com a produtora Digital Extremes.

Apresentação prévia, E3 2009

Jogo e série

Homefront não é somente um jogo, mas parte de uma história maior contada em forma de trilogia. “O primeiro jogo é o início da história. A narração lembra um seriado, com momentos-chave. Vamos continuar essa história (por meio de conteúdos extras) até que chegue Homefront 2″, fala Danny Bilson, diretor da divisão de jogos “Core”, da THQ.

A trilogia Homefront é assinada por John Frederick Milius, roteirista do clássico filme de guerra Apocalypse now! (1979) e do seriado Rome (2005-2007), entre outras coisas.

O ano é 2027. Os Estados Unidos continuam afundados em crise econômica, e cada vez mais perdem seu poder político-militar. Do outro lado, continua acelerado o crescimento da batizada Grande República da Coreia, nação gerada por meio da expansão da Coreia do Norte — que avança suas forças armadas e domina a Coréia do Sul e o Japão, além de vários outros países do leste asiático. A guerra entre estadunidenses e coreanos é certa, mas ninguém imagina o quão rapidamente ocorreria… E os EUA são invadidos pela expansiva Coreia.

“A Coréia do Norte amedronta o mundo inteiro com seus testes nucleares e isso a tornou uma nação ideal para ser eleita como inimiga dos Estados Unidos no jogo”, argumenta Bilson.

Sobre o enredo, ele surgiu a partir de uma teoria paranóica, “uma ficção especulativa inspirada em fatos reais”, explica Bilson. Há uma mistura ficção e realidade, exibe uma coletiva de imprensa com Primeiro-Ministro do Japão e Hillary Clinton, Secretária de Estado dos Estados Unidos. No jogo, os EUA são apanhados de surpresa e sofrem a mais amarga de suas derrotas militares, basicamente ficando sem forças armadas. Em contrapartida, os civis se juntam e organizam uma força paramilitar (chamada Resistência) para recuperar seu país das mãos inimigas. Prédios viram quartéis, casas se tornam guaritas de vigilância, e estacionamentos são tomados por jipes e tanques.

A ideia principal do jogo é fazer com que as pessoas interpretem os civis, “colocar as pessoas como combatentes da Resistência, lutando para salvar seu próprio país”, fala Zack Wilson, um dos designers do título.

“O mais legal é a ideia de explorarmos os civis, a humanidade”, diz Rex Dickson, designer de cenários. “Os cenários foram construídos para que as pessoas imaginassem que poderiam ter crescido ali. Mas está tudo disforme, abandonado, é um colapso”, explica. Para dar aspectos de realidade à história, o jogo reproduz virtualmente locações reais como o Johnston Memorial Park, na cidade de Johnston, EUA. O local é um monumento histórico. Além disso, é possível reconhecer instalações de redes de lanchonetes e de lojas típicas dos EUA, como a franquia Hooters.

David Votypka, diretor de criação, realça as importantes diferenças entre Homefront e os outros. Conta Votypka, enquanto a maioria dos títulos disponibiliza os melhores equipamentos, um grande número de aliados para apoiar os jogadores, Homefront o traz como um civil normal, membro de um pequeno grupo que luta por sua própria liberdade e que precisa improvisar.

A proposta é emocionar o público por meio da violência, mostrando barbárie, pessoas sendo pisoteadas, assassinadas e atiradas em valas, sendo humilhadas. Mas Chris Cross, designer responsável pela campanha individual, defende a exibição da violência. “Não é algo em vão. Há todo um contexto, países em guerra, revolta, e as pessoas lutando não somente por sua vida, mas pela sobrevivência de seus familiares e amigos”, explica.

Entre os extras, há conteúdo para os modos de partida individual e coletiva (para múltiplos jogadores), permitindo assumir o comando de infantarias (tropas a pé), e uma diversidade de veículos que inclui helicópteros, jipes, tanques, vários outros blindados e os inéditos veículos não-tripulados — robôs e podem ser controlados remotamente sem que você corra o risco de ser morto em combate. A promessa é a de emocionantes partidas, afinal a produtora responsável, Kaos Studios, nasceu da extinta Trauma, que criou Desert Combat, mais popular e respeitada “mod” (versão modificada) do jogo Battlefield 1942.

Modo de partida coletiva (para múltiplos jogadores)

Modo de partida individual (para um jogador), Occupation

Modo de partida individual (para um jogador), Future history

Livro

Homefront se desenvolve também como obra literária, feita a quatro mãos pelos escritores Raymond Benson e John Frederick Milius.

Milius assina roteiros de filmes como Apocalypse now! (1979) e Amanhecer violento (1984), enquanto Benson é responsável por aventuras de James Bond, o espião britânico 007, como O amanhã nunca morre (1997) e Um novo dia para morrer (2002).

Não foram divulgados título ou argumento do livro, mas Danny Bilson, diretor da THQ, conta que a história central poderia ser inspirada em reais coberturas jornalísticas envolvendo desentendimentos entre Estados Unidos e Coréia do Norte.

Diário de desenvolvimento #1, Future history

Diário de desenvolvimento #2, Large scale warfare

Diário de desenvolvimento #3, Fight for freedom

Consumo

Além da edição normal do jogo, há a “Edição de Resistência” (“Resist Edition”, originalmente) que adiciona novidades para os modos de partida coletiva, incluindo um “drone” (espécie de robô de reconhecimento) e a habilidade “quick fix”, além da espingarda 870 Express e do riple de assalto Scar. O produto é disponibilizado em lojas como Game, Mediamarkt e Saturn.

Embalagem “Edição de Resistência”, Mediamarkt

Embalagem “Edição de Resistência”, Saturn

Artes e fotografias

homefront-01 homefront-02 homefront-03

homefront-04 homefront-05 homefront-06

homefront-07 homefront-08 homefront-09

homefront_art-01 homefront_art-02

homefront_art-03 homefront_art-04

Homefront (produção: Digital Extremes, Kaos Studios | distribuição: THQ), PC, PS3, X360.

Estréia:

América, março de 2011

Ásia, março de 2011

Europa, março de 2011

Oceania, março de 2011

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: